Geração Alpha na Educação: Como Ajudar esta Geração Hiperconectada?

Atualmente é comum vermos uma criança mais antenada na tecnologia do que um adulto e provavelmente você conheça alguma criança assim ou até mesmo tenha um filho assim, todo avançado em meio aos aplicativos e dispositivos. No entanto para isso existe uma explicação; essas crianças fazem parte da geração alpha na educação.

Por fazerem parte da geração alpha, essas crianças se adaptam aos meios digitais mais rápido, pois já nascem conectadas. Por isso, é importante que a educação se renove e busque novos meios de abordar o ensino para essas crianças hiperconectadas com a tecnologia.

Você tem filhos nascidos a partir de 2010? Quer saber mais sobre a geração alpha na educação? Como eles conseguem ser tão antenados e ativos? As consequências disso na vida da criança? Então fique com a gente até o final, pois te mostraremos tudo o que você precisa saber sobre a geração alpha na educação

Geração alpha

A geração Z que antecede a alpha já era considerada uma geração muito conectada, porém ela nem chega aos pés da geração alpha quando o assunto é conectividade.

A geração alpha consiste nas crianças que nasceram a partir de 2010. Coincidentemente, a palavra "app" foi a palavra mais utilizada e pesquisada, sendo assim eleita a palavra do ano pela Sociedade Americana do Dialeto. Além disso, em 2010 surgiu uma diversidade de conteúdo voltado para o público infantil, desde programas de TV até conteúdo em site e aplicativos.

Além dessa alta conectividade, a geração alpha está mais acostumada com a questão de pouca privacidade, já que a sua vida é compartilhada desde cedo pelos seus pais em redes sociais. Com isso, essas crianças tendem a ser mais livres, flexíveis, questionadoras e mais ainda conectadas.

Como isso impacta a vida da criança

Como o perfil das crianças ainda estão em formação e dependem também do meio em que vivem, é difícil afirmar como será o seu perfil quando adulto. No entanto, é possível dizer que toda essa conectividade pode impactar positivamente quanto negativamente na vida dos pequenos.

Algumas características que podem já ser percebidas com força na maioria das crianças da geração alpha é que não existe classificação das brincadeiras por gênero, ambos brincam com o que mais gostam e se identificam. Além disso, as crianças são mais dinâmicas, se adaptam com facilidade à diversas situações e gostam de enfrentar desafios.

No entanto, com tantos pontos positivos, a geração alpha também pode vir acompanhada de problemas como ansiedade, irritabilidade, agressividade, déficit de atenção e hiperatividade.

Como ajudar a geração alpha na educação

Para ajudar a geração alpha na educação, uma das principais coisas a serem feitas é impor limites. Uma criança sem limites tende a ser um adulto problemático.

Além disso, é necessário tratar a paciência da criança, pois a geração alpha é muito imediatista, querem tudo agora e pra já, portanto é necessário não conceder tudo o que a criança quer no momento assim de mão beijada.



Impondo limites e mostrando para a criança que tudo tem o seu tempo, você consegue influenciar positivamente no perfil da criança e diminui as chances dela desenvolver ansiedade, hiperatividade e outros problemas. É importante também supervisionar a criança em conteúdos que ela acessa para garantir que ela veja conteúdos adequados à sua idade.

Conclusão...

A geração alpha precisa que a educação se renove para que eles possam acompanhar de modo mais adequado, já que são bem conectados com o mundo virtual e entendem bastante de tecnologia.

Com tantos apps, softwares e dispositivos que auxiliem no aprendizado, não tem porque não adotar e incluir esses meios mais modernos no ambiente de ensino. Lógico que é necessário ter cuidados no uso da tecnologia para o aprendizado, mas com um bom plano pedagógico para isso, a tecnologia pode se tornar a aliada perfeita no aprendizado.


Comentários (0)


Deixe um comentário