Alergia Alimentar em Bebê: como identificar os sintomas?

ma alergia alimentar em bebê pode ser difícil de detectar. Ele pode desenvolver reações cutâneas, digestivas ou respiratórias. Baseado no que diz a ciência e os especialistas, revelaremos hoje, algumas dicas de como identificar os sintomas de uma reação alérgica em um bebê.

Alergia Alimentar em Bebê

Uma alergia alimentar é caracterizada por um conjunto de reações imunológicas anormais após o consumo de um alimento específico. De acordo com o Seguro Saúde, as alergias alimentares vêm aumentando há vários anos. Cerca de 6% das crianças seriam afetadas por uma alergia alimentar e 3% dos adultos.


As alergias alimentares são, portanto, cada vez mais comuns em bebês e crianças.

Quais são os sintomas de uma alergia alimentar em uma criança?

As manifestações de uma alergia alimentar em uma criança são diferentes daquelas em um adulto. Eles podem aparecer assim que o alimento alergênico for ingerido. O bebê pode então desenvolver reações digestivas, cutâneas ou respiratórias, como:


  • vômitos;

  • fezes com muco;

  • diarréia;

  • dor de estômago;

  • recusa do peito ou mamadeira;

  • dor ao alimentar-se ou receber a mamadeira;

  • eritema na pele;

  • coceira, entre outros.

Quais alimentos podem causar uma alergia alimentar?

Em uma criança, o principal alimento que desencadeia uma reação alérgica é o leite de vaca. Nos últimos anos, temos visto cada vez mais bebês amamentados que também são alérgicos ao leite de vaca. A mãe continua a ter uma dieta normal consumindo, por exemplo, leite de vaca no café da manhã. O bebê desenvolve então uma reação alérgica através da amamentação. Os produtos à base de ovos também podem causar alergia alimentar em bebês.


Se um bebê amamentado for alérgico ao leite de vaca, a mãe precisará seguir uma dieta rigorosa. É necessário que ela retire de sua dieta todos os alimentos que contenham proteína do leite de vaca. Se a criança não tiver mais reação após a retirada desses alimentos, isso vai confirmar a alergia às proteínas do leite de vaca.


De acordo com a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), a alergia ao leite de vaca é curada em 80% dos casos em torno da idade de um a dois anos. Quanto à alergia ao ovo, ela desaparece por volta dos três anos da criança em 60% dos casos.


Uma criança pode desenvolver outras alergias quando seus pais começam a dar-lhe alimentos sólidos. As reações alérgicas mais comuns são devidas às nozes, mas esses alimentos não são recomendados antes dos dois ou três anos de idade. Muitas crianças também são alérgicas a amendoim. No entanto, essas alergias alimentares raramente melhoram com a idade.

Alergia alimentar: como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é baseado na condição clínica do bebê. Assim que surgirem os primeiros sinais, é importante consultar o médico. Durante a consulta médica, o profissional de saúde pergunta aos pais os diferentes sintomas que aparecem no filho. 


A observação dos pais é, portanto, muito importante, porque o médico vai confiar. Se a criança tiver diarreia, coceira ou chorar ao dar mamadeira ou ao amamentar, é melhor anotar.


Uma alergia alimentar geralmente é hereditária. Se o primeiro filho é alérgico ao leite de vaca, o segundo bebê também tem alto risco de ser alérgico a ele. Estima-se que haja cerca de 9 em 10 chances de que o segundo filho também desenvolva uma reação alérgica.

Quais são os tratamentos para uma alergia alimentar?

O principal tratamento para uma alergia alimentar é evitar produtos alergênicos. No caso de uma alergia ao leite de vaca, ele deve, em particular, ser removido da dieta do bebê. Para repor, o médico prescreve hidrolisados, leites especiais, que são vendidos nas farmácias. O bebê também pode ser cuidado por um alergista para garantir o acompanhamento médico.

Bebês alérgicos no Colégio Lebiste

Todos os nossos profissionais do berçário são treinados para identificar os primeiros sintomas de alergias em seu bebê, também gostamos de conversar com os pais para mapear possíveis sintomas e produtos que podem causar reações alérgicas.